Black Clover: O primeiro episódio! - Originalidade e gritaria

Bom, vamos começar esse post de Black Clover falando do enredo, logo depois passaremos pelo audiovisual, algumas referências interessantes e então terminaremos pelas minhas considerações finais. De uma pessoa que nunca leu a sinopse do anime em sites de terceiros, teremos agora uma sinopse sem interferências, baseado apenas na minha opinião, e no que eu vi do anime até agora, ou seja, o primeiro episódio.

Sinopse:

Em um mundo de fantasia onde a grande maioria das pessoas sabem usar magia é normal receber um grimório ao completar 15 anos de idade. Nesse mundo, um garoto de cabelo cinza chamado Asta encontra-se distante de seu sonho de se tornar um Mago Rei, por não possuir magia alguma, e por não ter conseguido o seu grimório. Mas ele não desistirá de seu sonho mesmo não possuindo magia.


Enredo

Como já dito mais acima, Asta é o nosso protagonista, porém vários outros personagens foram focados nesse primeiro episódio, mas antes de falarmos dos personagens vamos falar do mundo e do ambiente onde esses indivíduos vivem.

Esse é um mundo medieval com fantasia, a magia é existente e altamente presente nesse mundo, até então apenas o nosso protagonista não sabe usá-la, todos os demais apresentados a nós moram em uma espécie de igreja/orfanato dentro de um povoado de agricultores. E é neste local que moram Asta, Yuno (o irmão de Asta), a “Irmã”, o Padre, e mais algumas crianças coadjuvantes com um pouco de regalias, mas que ao longo da história acredito não ter muita relevância.

Asta e Yuno são órfãos que não tiveram seus pais revelados na trama, porém o Padre os acolheu enquanto ainda bebês. 15 anos se passaram e Asta por não conter magia dentro de si, treina o seu lado físico, já Yuno tem grande magia e controle sobre a mesma, ao menos no primeiro episódio os dois parecem dividir o protagonismo dentro do anime. Asta como o lado extrovertido/impaciente e sem nenhum pingo de senso comum e Yuno (só o Yuno mesmo) contemplando o enredo do anime até aqui, os dois vão receber seus grimórios, porém apenas Yuno consegue utilizá-lo, enquanto Asta é menosprezado por toda a vila e e por todos os outros que conseguiram seus grimórios. A partir daí a história desenrola-se de forma um pouco precária e com clichês usados de maneira seca e sem originalidade.

Audiovisual

Confesso que para o audiovisual fiquei um tanto devido, o áudio é muito bem elaborado com seus efeitos sonoros, músicas, dubladores, e ruídos característicos da série. Foi tudo muito bem, a obra está editada e encaixada em seus devidos lugares, a música atmosférica com baixo volume em determinados momentos do episódio deixam as coisas bem mais leves ou bem mais pesadas para a nossa imersão.

Já no vídeo/animação os efeitos visuais deixam um pouco a desejar com seu 3D pouco imersivo e com quebra de expectativa aos olhos já que vai contra o 2D predominante na série. Porém em outras partes o 3D é muito bem feito e encaixado em curtos momentos do episódio onde ficam bem menos notáveis que se tratam de efeitos digitais.

Referências

1ª - Fairy Tail
A história do anime se passa em um mundo de fantasia medieval com magia, muita magia diga-se de passagem, então não pude deixar de perceber a semelhança. Um mundo onde tudo se planta, tudo se colhe e suas tecnologias são movidas a magia, grande parte desse mundo é mágico assim como o mundo de Black Clover. Há várias construções e pelo que eu vi, esqueletos de monstros, demônios, magos, artefatos, etc podem ser encontrados neste mundo. Por isso fica aqui esta referência, que pode ter servido de base ou não para esse anime.

2ª - Naruto
O protagonista é um berrador profissional, porém 5 vezes mais, Asta também é uma pessoa inquieta, imatura e menosprezada pela sua “ vila”, algo me diz que ao anime andar com seu enredo o protagonista mostrará para que veio ao mundo de forma tão ou mais clichê que Naruto.

3ª - Fullmetal Alchemist
Essa é a referência que na minha opinião foi a mais baseada para o anime Black Clover, o protagonista é nanico e sabe ser irritante quando quer, tem um irmão que é o exato oposto e que cuida dele. Além de todos os efeitos visuais mostrados no anime que lembram bastante Fullmetal Alchemist tanto na forma da animação quanto em cores.

Considerações Finais

Apesar dos clichês característicos de shounens, e de uma porrada de animes parecidos que talvez tenham sido base das referências desse anime, o mesmo é uma boa pedida para quem gosta de shounen com conceitos que não saiam muito às regras já impostas pelo gênero. Tanto as músicas atmosféricas quanto as trilhas normais têm espaço dentro da animação, já os efeitos visuais deixam bastante a desejar principalmente quando são inseridos aos efeitos digitais. 
O enredo não é algo fora da curva, mas também não é algo comum ao ponto de ficarmos em telhados com a saga dos personagens, a geração de empatia com os personagens é bastante rápida, o primeiro episódio não é algo que recebeu expectativas, colocando a animação na média dos shounens.

Em primeiro momento não sei se isso é um anime que chegaria a ser muito bom, assim como não sei se não faria a menor diferença em nossas vidas, o fato é que para quem assistiu, está assistindo ou ainda vai assistir, este é mais um anime shounen com fantasia que pode vir a ser um clássico em um futuro próximo. Porém no dado momento ele é só mais um anime que deu seu ar da graça, cativou seu espectador e terminará de uma forma não tão envolvente para quem já está acostumado com essas histórias.

PS: O mangá é atualmente publicado no Brasil pela Editora Panini e o anime (com 157 episódios lançados até o momento deste artigo) disponível via streaming pela Crunchyroll, contendo até mesmo seus primeiros episódios dublados em português.


Data: 21/12/2020

Fonte: Rede Akiba

Fonte: MyAnimeList

Ellyson Santos

Diretor Artístico, Criativo, Locutor, Editor e um dos Administradores da Rede Akiba!

COPYRIGHT © | 2016 - 2021 | REDE AKIBA - O PARAÍSO DOS OTAKUS!Internet Radio
DESIGNER, PLANEJAMENTO E PROGRAMAÇÃO POR GABRIEL, ELLYSON E ANTÔNIO.

Tocando Agora:

|

No Ar: